Ed.Nº 148 – Giana Sisters: Twisted Dreams (2012)

AnaliseFala gamers do Brasil! A indústria dos games é composta por diversas camadas, pensem na indústria dos games como vários leitos de rio, um leito para cada segmento, e quando se juntam formam um mar que é a indústria dos games.

Por exemplo, em um leito temos os Fliperamas que une as máquinas de Pinball com os Arcades. No outro leito, temos os Consoles de mesa para serem ligados à TV. Do outro lado os Computadores. Neste conjunto de rios, também temos o leito dos Videogames Portáteis, Game Boy e Game Gear junto com os minigames. E hoje, podemos colocar nesse exemplo os dispositivos móveis Android e iOS, e os jogos da tecnologia VR feitos para jogar com o uso dos óculos de realidade aumentada.

Todas as plataformas ou sistemas, desde as máquinas de Pinball aos Consoles e os Computadores são repletos de histórias, tiveram um início. E que só começa a fazer sentido quando existe a participação dos jogadores. No meu caso, por exemplo, comecei com o Atari 2600, meu primeiro personagem de impacto que tive contato foi o Pitfall.

E você, como foi ou de que forma foi o seu primeiro contato com os games? Por favor, escreva nos comentários, eu gostaria muito de saber a sua história. A pergunta é mesmo para relembrar aquele momento inicial em que você não conhecia nada, e que começou a chamar a sua atenção para querer conhecer outros jogos.

Na edição 148 do Blog MarvoxBrasil vamos conhecer Giana Sisters: Twisted Dreams, produzido pela Black Forest Games. O jogo faz parte de uma franquia tão antiga e que possui quase a mesma idade do jogo Super Mario Bros. Assim como o carro chefe da Nintendo fazia sucesso no console NES/Famicom, Giana Sisters pega o lado da história dos games que aconteceu no Commodore 64, uma linha de computadores que existiu entre 1982 até 1994.

Acompanhe a última análise de 2016 com esta super dica para você se esbaldar de tanto jogar nesse fim de ano ou em qualquer outro momento.

MarvoxBrasil 148 Giana Sisters Twisted Dreams

Giana Sisters: Twisted Dreams (PC [Análise], Xbox 360, PS3, Wii U, PS4, Xbox One)
Desenvolvedor e Publisher: Black Forest Games
Lançado em: 23/10/2012

 

Vendedores espirituais

Mascotes. O que seria do início da indústria sem a existência desses personagens que funcionaram como carro chefe das fabricantes, estúdios e desenvolvedores? Desde os Arcades aos Consoles, os mascotes fizeram a história das suas plataformas. Eram como vendedores espirituais, chamavam a atenção para colocar uma ficha ou comprar um videogame. No Atari 2600 era impossível passar pelo console sem jogar Pitfall, River Raid ou Pac-Man.

Nos anos 80, os Arcades eram dominados por Pac-Man e jogos de naves. Numa loja, ao olhar para um console NES ou Famicom (para os japoneses), as pessoas enxergavam Super Mario Bros e The Legend of Zelda. A Sega no Master System mostrava Alex Kidd e no Mega Drive, o Sonic. Na metade dos anos 90 quando o PlayStation apareceu, Crash Bandicoot foi o mascote da geração CD.

Houveram mascotes que não eram propriamente um personagem mas diversas peças que podemos imaginar que sejam personagens, é o caso do Tetris que colocou a Rússia dentro da indústria do Videogame. Podemos dizer que o mascote da Rússia nos games é o Tetris? Até podemos.

Em um outro lado da indústria dos games que também estava em formação, encontramos os computadores, que no início dos anos 80 eram bem diferentes do que vemos hoje em dia. Não havia sistema operacional, o que se enxergava era uma tela preta ou verde, e por meio de palavras digitadas no teclado faziam os jogos funcionar.

Nos anos 80 e 90, os maiores polos industriais dos games foram o Japão e os Estados Unidos, e em uma visão e realidade nossa de jogadores brasileiros, enquanto estávamos jogando Atari 2600 ou Dactari, Clones de NES ou NES, Master System, Mega Drive e Super Nintendo, já existiam muitas criações para computadores, e desenvolvedores que queriam criar jogos tão bons quanto aqueles que existiam nos Videogames. Os consoles tinham Mario, Sonic, Alex Kidd e diversos outros jogos fabulosos. E o PC?

No MSX, os esforços da Konami, Hudson e Hal Laboratory ajudaram a transformar o sistema em uma central de jogos. Em outro modelo, no Apple II, o sistema contou em 1989 com Prince of Persia, portado depois para outros sistemas. Já o sistema MS-DOS, apesar de ser mais antigo, só recebeu o primeiro sucesso em 1990 quando a id Software trouxe Commander Keen.

 

Uma Alemanha inspirada no Japão

Se olharmos apenas para os Consoles quando falamos de Videogames nos anos 80, rapidamente enxergaremos Atari, Nintendo e Sega. Mas fora desse escopo existiram criadores de jogos que começaram sua carreira em outros sistemas. Até mesmo a Nintendo, antes de fazer sucesso com o NES, teve sua carreira nos Arcades com Donkey Kong. A Sega então, nem se fala, ela ditava e inovava diversas regras nos Arcades até um certo tempo. Máquinas em que a cabine se movia, como a do Afterburner era uma coisa do outro mundo naquela época.

Quando Super Mario Bros apareceu no NES, foi dado um novo gás para a indústria dos Consoles, e esse novo gás serviu para refrescar também as ideias dos criadores, ou até mesmo formar novos criadores, novos estúdios, principalmente no âmbito dos Computadores, além do MSX, MS-DOS e Apple II, existiu o Commodore 64 ou apenas C64, o sistema foi algo como o console PC Engine, só que voltado para os Computadores. A criação da Nintendo fez a Alemanha começar a entrar na história.

“Mario alemão”

Na Alemanha, um estúdio chamado Time Warp Productions resolveu criar o jogo The Great Giana Sisters, a história de Giana, uma moça loira e bonita (pelo menos na capa do jogo era bonita), e que enquanto dormia ficou presa no próprio sonho, ou pior, no pesadelo. Ela precisa escapar de criaturas maléficas que passeiam por um universo de sonho e fantasia, a personagem presa no pesadelo tem uma irmã chamada Maria. Giana precisava encontrar a irmã para conseguir escapar dos perigos da própria mente.

Um jogo de plataforma 2D, onde a personagem coletava diamantes que eram espalhados pelo cenário através de 32 fases e vários Warp-Blocks que ajudavam os jogadores a pular várias fases. Um produto lançado exclusivamente para o C64 em 1987.

O estúdio alemão não esperava que a Nintendo prestaria atenção em Giana Sisters, e nem o Shigeru esperava cuspir todo o sushi que estava comendo.

Na versão original de Giana Sisters do C64, apenas o primeiro estágio possui um layout semelhante ao primeiro estágio de Super Mario Bros, as outras 31 fases são completamente diferente. Nisso entra uma lenda urbana que diz que a Nintendo sabendo do conteúdo do jogo alemão, influenciou lojistas para não vender esse jogo por se tratar de uma produção que de alguma forma copiava e infringia os direitos autorais de Super Mario Bros, e de uma hora para a outra, Giana Sisters sumiu das lojas a partir do momento que os criadores tiveram que parar a produção. Mesmo assim algumas pessoas conseguiram comprar na época, e hoje é um artigo de colecionador. Com o tempo, The Great Giana Sisters foi portado para outros sistemas, inclusive o MSX2.

A ironia desta lenda urbana entre a Time Warp Productions e Nintendo, é que depois de muito tempo a marca Giana Sisters se transformou em uma série de jogos, o primeiro titulo apareceu em uma geração mais nova, inicialmente exclusivo do portátil Nintendo DS, com Giana Sisters DS lançado em 2009.

The Great Giana Sisters foi uma produção alemã de dois programadores e um compositor, eles se juntaram e fizeram o jogo ganhar vida. Seriam eles “Carmack”, “Romero” e “Robert Prince” de uma Alemanha que também queria fazer parte da indústria dos games, só que aqui eles manjavam de programar jogos no Commodore 64.

Armin Gessert, foi o líder da produção, anos depois fundou o estúdio Spellbound Entertainment, um estúdio mais conhecido pela duologia Desperados nos PCs no fim dos anos 90. Um jogo de estratégia em tempo real com cenários que lembravam faroeste. Isso mesmo, RTS de faroeste. Trabalhou por 25 anos na indústria dos games, mais focado na programação de jogos para computadores. Giana Sisters DS foi lançado em fevereiro de 2009 e Gessert faleceu em novembro do mesmo ano.

Manfred Trenz, depois de Giana Sisters, criou Turrican e Turrican II no C64, e Super Turrican, este último saiu no NES em 1992. Trenz, atualmente possui seu próprio estúdio, Denaris Entertainment onde desenvolve na Alemanha, jogos para o Nintendo 3DS.

Chris Huelsbeck, é o compositor da trilha sonora original em The Great Giana Sisters e da série Turrican. Seu último trabalho foi no acompanhamento da produção da trilha sonora do jogo Giana Sisters: Twisted Dreams, lançado em 2012.

Fãs e história dos games existem aos montes, é difícil saber o que faz e fez sucesso, existem muitos jogos que fizeram um sucesso estrondoso internacionalmente, e muitas vezes em alguns países não fez muito sentido. Foi o que aconteceu quando um novo estúdio independente, Black Forest Games resolveu recriar toda a ideia de Giana Sisters. Mas será que um jogo de Commodore 64 ainda tem força?

A Black Forest chegou a montar uma campanha no Kickstarter em 2012 com a meta de 150 mil dólares. Mais de 6 mil pessoas colaboraram para dar vida ao novo jogo, e no fim arrecadaram 186.158 dólares. Reveja no Kickstarter. Infelizmente Amin Gessert não pôde ver como sua filha Giana ficou após a repaginada, mas acredito que ele ficaria muito orgulhoso.

 

Sutileza e Rebeldia para chacoalhar o cérebro

A nova produção da Black Forest traz uma repaginada muito diferente do original, ao invés de uma mulher aparentemente adulta, temos as personagens redesenhadas como adolescentes, e sem alterar o objetivo do jogo original, Giana ainda precisa salvar a irmã Maria que foi capturada pelo gigantesco dragão Gurglewocky e aprisionada em Dream World, um reino onde gárgulas e figuras fantasiosas perambulam por todos os lados de um universo que parece querer mexer mesmo com os dois lados do cérebro.

Giana é uma menina loirinha com vestido roxo, movimentos delicados como um giro que ela faz no ar transformando-a em um pião para golpear os inimigos na cabeça e assim ganhar impulsos que permitem alcançar locais mais altos, além do giro servir para amortecer a queda como se fosse um helicóptero, prestes a aterrissar. O outro lado de Giana, escondido e mágico, é o lado Punk. Cabelo vermelho, camiseta com manga e saia, acessórios nos pulsos, e o poder de se transformar em uma bola de fogo para devastar inimigos e rebater-se em partes do cenário. Essas transformações de Giana são feitas em tempo real e a qualquer momento com apenas um botão, essa mudança de lado “delicado” com lado “punk” interfere também em todo o cenário e até na trilha sonora.

Para que o leitor entenda melhor a brincadeira, fiz esse GIF para tentar ilustrar, confira abaixo porque é algo sensacional.

O jogo ele é 2D onde mistura-se plataforma com puzzles bem nesse estilo, a Giana-delicada faz uma coisa que resulta na passagem da Giana-punk, o jogador vai alterando a aparência da personagem para conseguir chegar ao final da fase. Portas que abrem com a Giana-delicada, fecham com a Giana-punk, o mesmo acontece com plataformas que sobem e descem ou pontes e até inimigos. A mudança da aparência pede que o jogador monte outra estratégia para eliminar um inimigo ou atravessar um caminho, sem contar em locais secretos pelo cenário.

Por todo o cenário o jogador coletará diamantes, desde os pequenos diamantes até diamantes maiores que seriam “estrelas” do Super Mario 64 escondidas pelas fases e se o jogador conseguir coletar, fará uma jogada mais completa e desafiadora em 23 fases que compõem 3 Mundos, em cada final um chefão entrará em seu caminho e você precisará derrotá-lo a todo custo se quiser seguir para as próximas etapas do jogo.

O primeiro mundo começa com a fase Mysterious Meadows, comandado por duas gigantes minhocas de terra Hansel e Gretel. No segundo mundo, começam a aparecer ambientes aquáticos misturados com plataformas fora da água, comandado pelo polvo Octor Freud. Finalmente o último e maior mundo de todos, onde será possível encontrar o dragão-vilão Gurglewocky, que mantém Maria aprisionada.

O nível de desafio em todas as 23 fases do jogo Giana Sisters: Twisted Dreams é de colocar qualquer pessoa em choque, assim como as primeiras vezes que jogaram Mario no NES, qualquer Sonic do Mega Drive e Donkey Kong Country no Super Nintendo. Aquele desafio impecável que faz você olhar fixo na tela e dizer, vou conseguir passar disso mesmo que eu morra trezentas vezes. Quem jogou Freedom Planet sabe como a coisa funciona, assim como quem jogou Ghouls ‘n Ghosts sabe, não existe piedade, o único jeito é dedicação para conseguir passar com o tempo.

 

Trilha sonora com heavy metal

Twisted Dreams é um jogo de plataforma com trilha sonora marcante, enquanto na tela está Giana-delicada temos uma música mais ao som de piano e guitarra mais leve, algo mais pop e em algumas fases até com timbres de ska, mas quando alteramos para a Giana-punk, a mesma música ganha acordes mais enérgicos, com mais rebeldia. E é impossível passar pelas fases sem que a mão comece a formigar de vontade de aumentar o som.

Toda a trilha sonora foi composta pela banda Machinae Supremacy, uma banda famosa na Alemanha, da mesma forma que a banda Nine Inch Nails ajudou a id Software com a trilha e arranjos de Doom e Quake, isso aconteceu com a Black Forest durante o desenvolvimento de Giana Sisters: Twisted Dreams, que recebeu a ajuda da Machinae Supremacy, e ainda contou adicionalmente com a ajuda do compositor original. Chris Huelsbeck, acompanhou o trabalho e ajudou nos arranjos, um trabalho super cooperativo entre o compositor original e a banda do novo jogo, que resultaram nas músicas que vocês podem ouvir aqui embaixo.

Confira abaixo a trilha sonora completa do jogo

 

Twisted Dreams: nos consoles e PC

Giana Sisters: Twisted Dreams está disponível nos consoles, Xbox 360, Xbox One, PlayStation 3 e 4, Wii U, e também no PC onde pude jogar através da plataforma Gamelyst, e todo o percurso do jogo foi aproveitado com o uso do controle do Xbox 360.

Para jogar com mais facilidade no PC, acesse o site da Gamelyst.com onde você pode instalar a Plataforma e curtir qualquer jogo por 15 dias de acesso ou pagar R$15,00 e ser um assinante para desfrutar de toda a biblioteca de jogos disponíveis para você jogar no PC. Assim como eu fiz com Pony Island e que veio a aparecer na Edição 143 aqui do blog.

E assim chegamos ao final da Edição 148. Confira abaixo a galeria com imagens, capturadas durante o gameplay de Giana Sisters: Twisted Dreams no PC. Logo me despeço e desejo um Feliz Natal e um ótimo Ano Novo para você! Logo estaremos juntos novamente com mais análises aqui no Blog MarvoxBrasil. Até a próxima, na primeira análise de 2017!

Anúncios

Sobre Marvox

Bacharel em Comunicação Social: Propaganda e Marketing pela Universidade Paulista de São Paulo, Autor do MarvoxBrasil e Co-Fundador do Canal Jornada Gamer.

Publicado em 25 de dezembro de 2016, em Análises, PC, PS3, PS4, Wii U, XBOX 360, Xbox One e marcado como , , , , , , , , , , , . Adicione o link aos favoritos. 6 Comentários.

  1. Um jogo bem interessante viu com uma bela trilha sonora vou jogar a versão do Nintendo DS pra ver como é quem sabe depois eu não pegue a do xbox 360.

    Curtido por 1 pessoa

  2. Cara, foi o que falei pro Ulisses, me pegou de surpresa porque eu nem esperava nada e fiquei fascinado com a qualidade do jogo, principalmente com a trilha sonora. É um jogo que faz voltar para aqueles momentos de fúria porque tudo parece fácil até você começar a avançar no jogo, fica muito puto porque vai morrer pra caramba, igual Freedom Planet que registra suas mortes, nesse jogo também kkkk, meu doidera. É pra plugar o controle, encostar no sofá e esquecer da vida.

    Valeu Cadu!

    Curtido por 1 pessoa

  3. hahahaha imagina a cara dele naquele momento que viu The Great Giana Sisters. Mas pow, esse jogo Twisted Dreams achei sensacional e me pegou de surpresa, ainda tentarei jogar mais pra conseguir completar os mundos porque são bem difíceis coletar os diamantes e cumprir o que cada mundo pede, mas é bom, será um jogo que vai durar bastante aqui no PC. Valeu Ulisses!

    Curtir

  4. Respondendo seu questionamento, meu primeiro contato com videogames vc já deve conhecer, mas relembrando foi quando meu pai ganhou um Atari 2600 em uma rifa e eu passei a jogar Haunted House com ele, entre outros grandes clássicos do console, tenho mais memória de Megamania, River Raid, Enduro, Seaquest e principalmente Frostbite, que minha mãe também jogava (e fazia score maior que todo mundo).
    Enfim, falando do jogo e do restante do texto…
    Acho a história do primeiro Giana Sisters bastante curiosa. Reza a lenda que algumas pessoas que jogavam no C64 ou MSX achavam que Super Mario Bros. era um clone de Giana Sisters, não o contrário. Curioso isso, mas não duvido que seja verdade, dado que na época a gente não tinha assim tanta informação. Só acho estranho que Mario é um ícone pop absurdo já tem anos, mas enfim, vai saber! kkkk
    Sobre o jogo avaliado, já ensaiei comprar ele pelo menos umas 4 ou 5 vezes, sempre desisto no último momento, a maioria das vezes pensando que já tenho coisas demais pra jogar. Lembro que joguei a demo de um Giana Sisters no PS3, se não me engano era o Twisted Dreams mesmo. Lembro que gostei bastante e pensei em um dia jogar, seu review me deixou com mais vontade! Ainda mais que eu gosto bastante dessa mistura de puzzle com plataforma 2D, ainda mais com colecionáveis durante as fases. Principalmente quando alguns estão escondidos. Motivação extra! rs
    Na minha cabeça era um jogo bonito, vendo as imagens que vc postou chego à conclusão que ele é MUITO bonito!
    Provavelmente vou esperar outra baixa do jogo no PS4 e pegar pra jogar, tô realmente curioso.
    Mais um post excelente, Marvox! Valeu demais!

    Curtido por 1 pessoa

  5. Eu imaginei o Miyamoto cuspindo o sushi enquanto via GS, tipo um gif animadfo kkkkkkk Eu mesmo fiquei surpreso quando soube que iria ter para DS este jogo. O tempo passa e coisas assim acabam virando o jogo. Quem diria que um plágio seria um jogo real na plataforma plagiada? Isso acontece mesmo. Os mascotes são vendedores com certeza! O Tetris ficou tão associado a Rússia que podemos dizer que é como se fosse um Sonic para o Mega Drive, são ícones e neste sentido Tetris é um mascote sim.
    Belo texto Marvox!!!

    Curtido por 1 pessoa

  1. Pingback: Meme Gamer: O Que Você Jogou em 2016? | Blog MarvoxBrasil

Venha comentar e compartilhar sua experiência!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: