Ed.Nº 129 – Condemned: Criminal Origins

AnaliseFala gamers do Brasil! Na edição anterior, mostrei um pouco sobre o Beta de The Division, novo jogo em desenvolvimento pela Massive Entertainment e que será publicado pela Ubisoft.

Também no mês passado, a Sega promoveu uma campanha muito legal chamada ‘Make War Not Love‘, e no hotsite da campanha, ela liberou vários códigos promocionais de jogos produzidos e/ou publicados pela Sega e que assim podiam ser ativados no Steam.

Um dos jogos liberados pela Sega foi Condemned: Criminal Origins, fui pego de surpresa porque em janeiro passado eu tinha revisitado esse jogo para trazer aqui e falar dele para você que acompanha o blog. Não sei quantos de vocês já jogaram ou lembram-se deste jogo que na época havia sido encomendado pela Sega.

Sendo assim, na Edição 129 do Blog MarvoxBrasil, vamos relembrar o histórico deste jogo criado pela Monolith Productions, isso mesmo, a mesma que criou o recente Middle-earth: Shadow of Mordor. Acompanhem a análise de…

Ed129MVX

  • Monolith Productions, uma transfusão de ideias

A Monolith Productions (não confundir com Monolith Software) é uma desenvolvedora norte-americana que possui uma das histórias mais curiosas dentre os estúdios que fizeram a história dos jogos de computador durante os anos 90.

Logo após o lançamento de Duke Nukem 3D em 1996, os criadores da 3D Realms, de Duke Nukem, pretendiam montar um estúdio à parte para a criação de jogos sem o selo da 3D Realms como desenvolvedora, ela seria a publisher. E eles estavam com uma série de jogos já planejados que só a equipe da 3D Realms não daria conta para a criação desses outros projetos. Então, desde aquela época era muito comum um estúdio maior ter outros estúdios menores para resolver esses outros projetos. No final esse estúdio foi chamado de Q Studio.

Pois bem, a 3D Realms naquele momento pós-Duke Nukem estava com dois jogos guardados na manga. Um deles foi Shadow Warrior em 1997, e o outro jogo, que aí sim seria desse estúdio separado, era um jogo que eles chamavam de “super secreto” e que no fim foi apresentado como, Blood.

Numa situação completamente descuidada, a 3D Realms havia registrado e tomado todo o cuidado para assegurar a marca Shadow Warrior, mas esqueceu-se de fazer o mesmo com o jogo Blood.

Naquela época um novo estúdio começaria a criar jogos de PC mas eles precisavam de um projeto para investir e publicar como primeiro jogo no mercado, foi aí que a Monolith Productions acabou adquirindo o Q Studio e nessa compra levou todos os funcionários e os projetos que eram da 3D Realms.

A Monolith Productions começou focada no ramo dos jogos de PC, todos os títulos dela de 97 até 2003 foram produções exclusivas para o computador. A maioria dos jogos foram distribuídos no Brasil por meio da Revista CD Expert que acompanhava um CD com o jogo completo para instalação. Nessa época ainda não tínhamos o Steam e esse costume das lojas digitais, para jogar precisávamos mesmo da mídia física.

Os jogos mais famosos da Monolith Productions são: Blood e Blood 2: The Chosen, The Operative: No One Lives Forever, e a saga F.E.A.R.

 

  • Condemned: quando o melee ganhou maior importância

A estrutura do jogo Condemned é justamente essa, tira-se a importância suprema de atirar em tudo que se move ao mudar para um combate mais corpo a corpo e com cenários repleto de interações, o que faz o jogador parar para olhar o que tem em sua volta ao invés de só olhar e mirar para frente.

Ainda podemos usar armas de fogo, mas a munição é completamente escassa, podemos arrancar canos e conduítes das paredes, pegar machados e marretas, ou qualquer outro tipo de ferramenta, e cada arma branca possui uma determinada durabilidade e peso na hora de se defender. Algumas resistem mais, outras podem quebrar e tornam-se inúteis após muitos golpes. Tudo isso em um jogo atrelado ao gênero Survival Horror com tema policial, onde precisaremos caçar um serial-killer.

 

  • O agente com pacote Premium

Ethan Thomas é um agente do FBI que trabalha em uma unidade especializada em homicídios, sobretudo em assassinatos. Em uma chamada aparentemente comum, Ethan entra no meio de uma perseguição incrédula com uma força do mal, o famoso Serial Killer X.

Cada fase mostra pouco a pouco etapas da investigação e o melhor é, quem faz toda a investigação do jogo é o próprio jogador ao utilizar ferramentas típicas de um agente do FBI. Vamos conhecer o kit premium do FBI:

UV Light – Lanterna com luz ultra-violeta para identificar marcas de sangue e outras substâncias orgânicas respingadas no chão, parede, ou teto.

Laser Light – É um pequeno canhão que de luz verde, muito parecido com a UV Light mas serve para enxergar marcas sólidas no chão.

Gas Spectrometer – Serve para medir o cheiro do ambiente. Se algum bandido passou e estava usando perfume ou qualquer odor de fumaça, queimado, ou corpo em decomposição.

Sampler – Este é para coletar amostras da cena do crime.

3D Scanner – Para capturar imagens de objetos e enviá-los para ser melhor investigado pelos computadores do FBI.

Digital Camera – Sim, é uma câmera para tirar fotos.

Ainda existe o celular que o personagem Thomas carrega, e um taser (arma de choque) para atordoar os inimigos naqueles momentos em que o jogador encontra-se encurralado.

Ethan não trabalha sozinho, enquanto o jogador prossegue pelas fases, toda a investigação é comunicada e recebida por Rosa Angel, a parceira da história.

 

  • Investigue o crime, explore os capítulos

Condemned é um jogo de detetive, e que também carrega muita exploração durante cada capítulo em que se passam as fases, por isso é importante ficar atento ao cenário porque existem oportunidades de garantir conquistas, sim, igual ao que acontece hoje em dia com os jogos no Steam, Live e PSN, mas nessa época em que Condemned apareceu, as conquistas estavam introduzidas na raiz do jogo e o que fosse feito a mais nas fases, desbloqueavam algumas novidades. Vamos ver quais são elas:

Dead birds ou apenas Birds – Ossos de pássaros ou pássaros que estão apenas caídos no chão, colete 6 deles em cada capítulo.

Metal Pieces – São pedaços de metal retorcido que estão sempre muito bem escondidos, existem 3 em cada capítulo.

Video Tape – São TVs acompanhadas de um vídeo-cassete, ao se aproximar e ativar, ficará registrado um vídeo que depois poderá ser assistido e que possui informações mais profundas do universo de Condemned.

O desbloqueio das conquistas traz ao jogador novas informações para ler e diversas artes conceituais à respeito do desenvolvimento do jogo. E de todos os objetos escondidos, o mais legal é encontrar essas TVs com Vídeo-Cassete já que elas revelam boas informações sobre a história do jogo.

 

  • Longplay no Jornada Gamer

 

  • Um desafio onde todos podem fazer o mesmo que você

A primeira vez que joguei Condemned foi em 2007, quando procurava jogos com esse tema de terror.

Lembro que foi um jogo que impressionou bastante por pedir muita estratégia para combater os inimigos, sem contar que acontecem muitos jump scare na primeira vez em que jogar, é inevitável. E sem contar que os inimigos aproveitam todo o cenário para tentar te derrubar, assim como você pode pegar um objeto da parede, os inimigos também podem.

E mesmo sendo um jogo de 11 anos atrás, algo importante para comentar, é que Condemned funciona tranquilamente no Windows 10 sem fazer ajustes de compatibilidade ou baixar patches de correção de bugs.

A edição 129 do Blog MarvoxBrasil fica por aqui, e no mosaico abaixo confira as imagens de Condemned: Criminal Origins, no PC. Até a próxima!

1 Comment

Para comentar utilize seu login do Facebook, Twitter, Gmail, ou Wordpress =)

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s