Ed.Nº 76 – 17 Anos de Duke Nukem 3D e um Detonado Especial para Comemorar!

Ed76-DN3DAE

Faaala Gamers do Brasil! A 8ª geração dos vídeogames começou. A Nintendo já lançou o Wii U, e ontem(20/02/2013) a Sony fez uma vídeo-conferência que pôde ser acompanhada pela Internet. Basicamente, a Sony não mostrou o PS4(Playstation 4) para termos uma noção de como será, ao invés disso, ela apresentou o novo controle, e vários vídeos demonstrativos dos games que estão por vir. Capcom de engine nova, a softhouse Guerrilla com seu Killzone e agora, uma experiência nova com um game de corrida chamado DriveClub, além de Watch_Dogs e muitas amostras a mais. Quais foram as suas impressões? E qual dos jogos demonstrados você ficou com mais vontade de jogar? E com toda essa transição de gerações tecnológicas nos vídeogames, vamos homenagear um título que trouxe a inovação para o ambiente dos jogos de tiro em primeira pessoa, Duke Nukem 3D. Vocês poderão conferir um pouco da trajetória do programa Start Again, onde faço um detonado do próprio jogo, no Youtube. Acompanhem para conhecer mais sobre o Canal MarvoxBrasil.

DN3DAEcapa1

Eu me lembro que o ano era 1995, quando estava em um clube poliesportivo em São Paulo. Na área da recepção, a poucos metros do balcão onde as pessoas se cadastravam para virar sócias desse clube, acontecia uma espécie de banca de jornal. Eu cheguei perto para ver, porque gosto de revistaria e banca de jornal, e fiquei olhando para ver o que tinha de bom por lá. Nessa época a mania no bairro onde morava era jogar DOOM. De repente bati o olho numa revista chamada CD Expert. Eu fui nesse clube, como convidado de dois amigos. Então, eu peguei a revista e na contra capa dava para ver alguns jogos que tinham no CD-ROM. Meus amigos e eu, rachamos para comprar a revista que custou algo entre 10 a 13 reais. Quando voltamos, fomos logo correndo para ver os jogos do CD, no PC do carinha que me chamou para o clube. Depois de uns dias, eu fiquei com o CD, porque os meus amigos deixaram de lado e eu pude ver com mais calma em casa, o CD inteiro.

Eu tinha um PC, com a configuração: 486 DX2 66Mhz com Windows 3.11. Muitos dos jogos contidos no CD-ROM eu não cheguei a ver na época devido a configuração limitada. Eu conseguia ver o conteúdo do CD pela revista e fiquei louco. DOOM, Quake, Duke Nukem 3D, Strife, Hexen, Heretic, Marathon, Powerslave e muitos outros jogos de PC que estavam prestes a sair. Estavam todos em demonstração, tinha mesmo uma variedade de títulos impecáveis. Foi neste CD que eu vi pela primeira vez, Duke Nukem 3D. O jogo na época já pedia um 486 DX4 100Mhz para rodar. Mas mesmo assim, instalei e joguei. Lembro que às vezes rolavam vários bugs na placa Sound Blaster 16, mas eu jogava do mesmo jeito. Infelizmente, por ser demonstração, fiquei muito tempo jogando só o primeiro episódio.

Depois, em 1996/1997. Eu estava voltando do Colégio e parei na banca de jornal que tinha no caminho de casa. Foi neste momento que eu tive a oportunidade de jogar o game completo de uma só vez. Foi na Revista Senha Nº 1 que eu consegui o CD-ROM com o Duke Nukem 3D Atomic Edition, completo!

Até 1994, DOOM foi considerado a obra-prima dentro do gênero FPS(tiro em primeira pessoa). Mesmo assim, o que tínhamos até 1995 não era o bastante. Tudo o que víamos eram jogos onde você era um fuzileiro, em DOOM. Um guerreiro medieval, em Hexen. E até um guerreiro Jedi, em Star Wars Dark Forces. O público queria ver ruas, prédios, cinemas, e até boates, ou seja, algo mais próximo do real. Duke Nukem 3D estreou o nome da softhouse 3D Realms, que até então chamava-se Apogee. Conhecida por jogos como: Raptor, Alien Carnage e Rise of the Triad. Inicialmente, Duke Nukem 3D estava prestes a sair com visual deo game DOOM, remodelado. Ao invés disso, apareceu Ken Silverman, que trouxe uma engine inovadora – a Engine Build, que resultou em levar o gênero FPS para um novo horizonte.

Para que vocês entendam melhor, Ken Silverman tinha apenas 17 anos quando criou a primeira versão da Engine Build, depois de alguns anos, foi chamado para trabalhar na 3D Realms e colocar em prática a criação em Duke Nukem 3D. Na época, digamos que a engine criada por Ken Silverman era algo tão perfeito, que foi possível a existência da enxurrada de games de PC que apareceu em torno dos anos 1995 até 1999, com Blood, Shadow Warrior e PowerSlave, por exemplo. Mesmo que a 3D Realms já tinha a Engine certa para criar Duke Nukem 3D, houve uma pessoa que pediu para comprar e usou a Engine um ano antes da 3D Realms. Quem foi? William Shatner. Queeeem?? Sim, o Capitão Kirk de Star Trek (Jornada nas Estrelas).

TekBox

William Shatner tentou transformar uns de seus roteiros em um jogo de computador. Foi aí que surgiu, William Shatner’s Tekwar. Este game já foi destaque na série – Tributo ao FPS, feito pelo Blog MarvoxBrasil (Ed.Nº 45, 06/2010). Tekwar, mostrou para o universo dos games a idéia do que seria uma “Matrix”, muito antes do próprio filme estrelado por Keanu Reeves aparecer em 1999. Tekwar, foi um dos primeiros jogos de PC a inserir pessoas “reais” de forma digitalizada. A primeira vez que joguei a demo, foi na mesma revista CD Expert. O jogo do Capitão Kirk é muito divertido, vale a pena jogar e terminar.

Mas, o mundo já tinha visto e babado com Cyberia nos PCs, 3DO, Sega Saturn e PS. Só de entrar no jogo e ouvir frases como estas: “Please enter your identification”. E cada letra digitada, era dita em inglês, e ao apertar a tecla Enter ou Start, o jogador ouvia: “Select arcade level”, em seguida: “Select puzzle level“, e finalmente, após passar por todas as opções, você ouve: “Welcome to Cyberia”. E o jogo começa, quem conhece, mate a saudade. Quem nunca ouviu falar, venha conhecer porque é muito legal. Assista tudo isso que descrevi no vídeo abaixo.

Cyberia, Xatrix e Interplay – 1994.

Claro que isso era sensacional,  a Engine Build deu ao universo dos games de computador a possibilidade de criar dentro do cenário um visual mais completo com: pisos elevados, na diagonal, texturas mais próximas da realidade, profundidade com o céu e a água, trazendo assim, a liberdade do personagem de mergulhar ou voar. E o melhor, o padrão VESA 2.0 em que um computador 486/Pentium MMX com a simples placa de vídeo padrão, conseguia suavizar os serrilhados nos games da 3D Realms e de outras softhouses, passando de 640×480 para 800×600, até então, uma revolução na resolução da época. Isso era uma espécie de pré-HD, muito antes dessa alta definição que temos hoje em dia. Tudo isso, pode ser algo longe da atual realidade, já que isso é comum nos games de hoje, mas entre os anos de 1992-1995, os games em 3D do gênero FPS só podiam ir para frente, para trás, e para os lados. Sem ter tantas variações no cenário e se Duke Nukem Forever, não foi o primor da inovação(infelizmente), e estamos em uma transição entre 7ª e 8ª geração de videogames, nada melhor que brindar essa passagem ao detonar o game que na época retratou muito bem o que seria o passado e o que tornou possível até o presente.

Start Again – Canal MarvoxBrasil, Youtube.

A partir de agora, no Start Again, você poderá conferir um detonado especial do game que desencadeou toda a história acima. Duke Nukem 3D Atomic Edition. Tudo começa em Los Angeles no ano de 2007. Duke volta da última missão, em Duke Nukem II, quando o jato em que pilotava foi atingido por lasers. Duke é ejetado rapidamente e então, tudo começa em cima de um prédio em Hollywood Holocaust. A primeira versão do game tem 3 episódios. Já o Atomic Edition foi lançado no mesmo esquema que The Ultimate DOOM, onde existe um episódio a mais que fecha a trama, O último episódio chegou a ser lançado sozinho, sob o nome de Platonium Pak e ao ser adicionado ao game original, virou Duke Nukem Atomic Edition, onde o herói leva o jogador finalmente em localidades como Area 51, a fortaleza dos aliens e claro, ao Duke Burger pela primeira vez.

Espero que gostem tanto quanto gostaram da primeira leva de temporadas com o game The Ultimate DOOM, pois neste novo detonado, vocês vão curtir: Easter Eggs, as brigas entre a id Software e 3D Realms na época, o momento em que Duke Nukem (lançado em janeiro/1996) quase foi abalado com a chegada do game Quake(lançado em junho/1996), fases secretas, objetos escondidos e muitos mais. Então, pegue já o seu jetpack, sua shotgun e, let’s rock.

PRESSAB

Game: Duke Nukem 3D Atomic Edition (PC)
Ano: 1996
Dev: 3D Realms
Nível de dificuldade: Come Get Some
Episódio 1: L.A. Meltdown

Fase 1 – Hollywood Holocaust

Easter Eggs da Fase 1:

1- Outdoor com a palavra “Innocent?” – Referente ao veredicto dado pelo Juíz no caso de OJ Simpson quando matou a ex-mulher e o amigo, em 1994/1995.

2- No banheiro do cinema em cima do mictório tem um número de telefone: 867-5309. Referente a música da banda Tommy Tutone, que vocês conferem abaixo no vídeo, um hit fortíssimo dos anos 90:

Tommy Tutone – Jenny(867-5309)

Fase 2 – Red Light District

Easter Eggs da Fase 2:

1- No bar existe uma TV, nela é transmitida um trecho da perseguição que ocorreu a OJ Simpson, no caso de 1994/1995.

Fase 3 – Death Row

Easter Eggs da Fase 3:

1- Na capela, atrás após inverter a cruz, o jogador encontra DOOM desmantelado. Referente a uma briga na época entre a 3D Realms e a Id Software em que eles estavam brigando pelos direitos do game Wolfenstein 3D, além de ser um modo de dizer que DOOM já era passado quando Duke Nukem 3D chegou em 1996.

2- Quase no fim da fase, existe um pôster que cobre a saída da prisão. É referente a readaptação de uma obra de Stephen King para o cinema, estrelado por Morgan Freeman e Tim Robbins em 1994 chamado – Os Condenados de Shawshank (The Shawshank Redemption), rebatizado em português anos depois como: Um Sonho de Liberdade.

Fase 4 – Toxic Dump [Acesso para a fase secreta]

Fase 6 – Launch Facility [Fase Secreta]

Fase 5 – The Abyss [BattleLord]

Easter Eggs da Fase 5:

Logo após a cachoeira com chamas de fogo, suba contra a correnteza das águas e no fim aperte a mão que está na parede esquerda. Entre na novas passagem e encontre uma mulher dançando perto de uma fogueira. No alto da parede, do lado direito encontre as letras SUYT, que significa: Show Us Your Tits (Mostre para nós os seus peitos).

Game: Duke Nukem 3D Atomic Edition (PC)
Ano: 1996
Dev: 3D Realms
Nível de dificuldade: Come Get Some
Episódio 2: Lunar Apocalypse

Fase 1 – Spaceport

Se você gostou, acompanhe o Start Again, toda semana pelo Canal MarvoxBrasil. Existe também um tópico sobre o detonado no Fórum Retrogames Brasil (agradeço desde o The Ultimate DOOM, pelo espaço cedido), e a partir de hoje, também pelo Blog MarvoxBrasil onde uma vez por semana é exibido um novo vídeo com uma nova fase.  Até a próxima!

Sobre Marvox

Formado em Comunicação Social: Propaganda e Marketing, fundador e autor do Blog MarvoxBrasil. Criador da série Start Again no Youtube. Desde 2015 faz parte da equipe do Canal Jornada Gamer. Minha maior paixão, saber que consigo ajudar pessoas a terminar mais jogos. Essa conquista não tem preço!

Publicado em 21 de fevereiro de 2013, em Análises, Detonados, Especiais, Vídeos e marcado como , , , , , , , , , , , . Adicione o link aos favoritos. 2 Comentários.

  1. Verdade né Wesley, tem coisas que não é para jogar fora, tem que guardar com cuidado. Uma hora bate a saudade e está lá, para jogar quando puder.

    Curtir

  2. Cara eu também tenho esse cd até hoje, e como você, tive a oportunidade de conhecer jogos fantásticos. Este cd funciona até hje, e não só ele, como vários outros que guardo com orgulho da saudosa cd expert.

    Curtir

Para comentar não é preciso se identificar. Mas, se quiser, pode comentar utilizando seu login do Facebook, Twitter, G+ ou Wordpress. Grande abraço!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: