Ed. Nº 66 – MEME Coletivo Gamer: 3 games que você já jogou na infância e como jogá-los hoje?

Participar de MEME sobre games é uma brincadeira que o Blog MarvoxBrasil gosta muito. A primeira vez foi pelo site Gamers Team que criou o tema: “Como Virei Fã De…” e aí a pessoa tinha que explicar como virou fã de carteirinha de um determinado jogo, ou personagem, ou qualquer coisa dentro do universo dos games. Depois, através de uma parceria muito forte entre o Vg&Etc e o Fórum Retrogames Brasil e o Canal Primastart, foi criado o MEME com o tema: ” O Que Você Jogou Em 2011?”. E desta vez, a idéia veio de uma pessoa muito querida no meio retrogamer, Ritinha – @ritalinando. O tema é: Jogando hoje 3 games que joguei na infância. Nesse MEME a brincadeira é a seguinte: Pense aí em 3 jogos que você jogou recentemente e que você jogava quando era criança. A idéia é contar, o que você sentia ao jogar no passado e o que você sentiu ao jogar hoje. Muito fácil, muito tranquilo. Não percam tempo e comecem já à escrever os seus causos.

Os 3 games que separei para mostrar para vocês, um eu terminei só depois de adulto e os outros dois eu continuo na busca do final. Estes dois últimos são os chamados, jogos que parece não ter fim. E se tem, você precisa se dedicar mais do que você já se dedicou na infância. Então, os 3 games estão divididos em:

=> Infância (conto como conheci o jogo);

=> Como é? (um pequeno review do jogo para vocês conhecer);

=> Hoje (falo como é a experiência no presente).

The Heist, 1985, MSX – Criado por: COMPTIQ

Infância

Um dia em que eu jogava Master System na sala, meu pai chegou com um MSX Expert debaixo do braço. E meu pai tinha escrito em várias folhas sulfites grapeadas o nome dos jogos de A à Z que continham em cada disquete de 5e1/4, eram 5 caixas cada um com 10 disquetes dentro. Então, quando cheguei neste jogo, achei o máximo.

Como é?

Você é um ladrão que invade museus e precisa roubar quadros enquanto desvia de sensores à laser, alarmes anti-roubo e outros aparatos de segurança. É preciso ter muita paciência porque, para passar de fase é obrigatório coletar todos os quadros do cenário. Alguns estarão dentro de salas, e será preciso encontrar uma chave branca para abrir cada porta trancada.

Hoje

Infelizmente não tenho mais o MSX Expert, em compensação utilizo um emulador para jogar. Então do pouco que eu lembro o nome dos jogos que eu tinha, consegui resgatar aproximadamente 20 jogos. E para encontrar o The Heist foi uma quest enforcar-se com o fio do mouse. Na infância eu não tinha noção de inglês. Eu vía o jogo, digitava e pronto. Então quando eu fui procurar, já no tempo atual, tentei de tudo: Theft, ladrão de rouba quadros, Thief, Burglar, até chegar em um site de abandonware (jogos que o tempo corroeu e ficaram abandonados de forma completa em sites e você pode baixá-los gratuitamente). E tinha a foto do jogo que eu lembrava de um jeito muito nítido. Então, eu lí o nome: The Heist. Heist é uma modalidade de ladrão que usa a saída francesa, entra e sai na surdina sem ninguém perceber. Justamente o enredo do jogo: um museu à noite, sem ninguém, só você os quadros, as portas trancada e o sistema de segurança.

The Little Dream Nemo, 1990, NES – Criado por: Capcom

Infância

Assim que tive o Dynavision III, veio a oportunidade de participar da prateleira de jogos do NES na gamelocadora que tinha perto de casa. E em meio a conhecer Mega Man, Battletoads, Yo! Noid e outros iNESquecíveis, existiram vezes que não tinha aquele jogo que eu já tinha marcado para alugar. Então eu alugava de forma aleatória, o que foi bom para sair do convencional. Então ví uma caixa onde tinha uma criança na cama, numa espécie de pesadelo. Taí um jogo que leva a marca Capcom mas que é totalmente dferente de tudo que a Capcom criou até hoje. Quem vê Capcom tachada por só produzir Street Fighter, Final Fight e outros, é preciso pegar para jogar e conhecer.

Como é?

O jogo se passa em 1905, início do século XX onde um garoto é transportado através do sonho para um universo mágico cheio de criaturas engraçadas e cenários coloridos. Você é o Pequeno Nemo (Little Nemo) que precisa salvar o reino do sonho de um eterno pesadelo. Com isso você atravessa o cenário e para ajudar a sua jornada pode transformar-se em criaturas, mas para isso acontecer é necessário dar 3 balas. Então, as criaturas dormirão e você apenas encostará nessa criatura e pronto. Poderá ganhar forma de sapo, marmota, subir nas costas de um gorila ou lagarto e outros animais.

Hoje

Quando eu alugava passava com muita dificuldade da 1ª fase. Até eu entender que precisa pegar 6 chaves para abrir a porta no fim da fase, demorou. Mas depois, ao jogar com mais calma e dedicação, consegui terminar e ver o quanto esse jogo é muito mais divertido do que parece, e cá entre nós, cheio de mensagem subliminar. Mas aí, a interpretação dessas mensagens vai da cabeça de cada jogador.

Aztec Adventure: The Golden Paradise, 1987, Master System – Criado por: SEGA

Infância

Muitos jogos eu fui conhecer dentro das locadoras. Esse jogo foi daquelas locações que você não tem opção. Quando você chegava na locadora em véspera de feriado e, só tinha os junta-poeira.  Pois é, nesse meio de cartuchos ou fitas, depende do jeito que cada um falava (eu dizia fita), e ví Aztec Adventure. Na dúvida, resolvi levar.


Como é?

Você é um aventureiro que adora fazer quests por lugares místicos com pirâmides e regiões que um dia foi o lar do povo azteca. E o jogo é um 2,5D ou seja, você não vê por cima, a tela é um pouco deitada. E o objetivo é atravessar o cenário, enfrentar os chefes que funcionam como checkpoints e por fim atravessar um portão para passar de nível. O jogo é muito difícil, são 10 fases cheias de armadilhas e inimigos que estão doidos para acabar com sua alegria. O jogo ainda conta com um sistema de barganha onde você coleta sacos de dinheiro e ao aparecer os personagens da tela inicial é possível jogar esses sacos de dinheiro na direção desses personagens com o objetivo de comprar a confiança deles. Então, esses personagens que antes eram inimigos viram “amigos” e lutam com você lado a lado.

Hoje

Até hoje, não consegui terminar esse jogo mas o vejo como uma criação muito divertida e curiosa. Um desperdício foi a SEGA ter colocado esse jogo para 1 só jogador, sendo que em 2, o 2º player poderia controlar 1 ajudante. É possível coletar 3 ajudantes e é muito interessante porque um jogo desse estilo cairía muito bem se fosse transportado para o hoje. Com Steam, PSN, XBLA, WiiWare, ficou muito mais fácil juntar pessoas para jogar, eu imagino, como seria Aztec Adventure com 4 amigos? Se no Master System sozinho é divertido, em 4 amigos seria imperdível.

E chegamos ao fim da Edição 66 com a participação do Blog MarvoxBrasil no MEME: Jogando hoje 3 games que joguei na infância. Quero agradecer a Ritinha pelo convite para participar e àqueles que contribuíram para este ser mais um MEME divertido e agradável. E abaixo vocês conferem os outros MEMEs que o Blog MarvoxBrasil teve o prazer de participar. Clique nos links abaixo para abrir uma nova página onde serão exibidas as edições.

Ed.Nº 57 – MEME: Como Eu Virei Fã De… (Realizado por: Blog Gamers Team)

Ed. Nº 61 – MeMe: O Que Você Jogou Em 2011? (Realizado por: Blog MarvoxBrasil, Vg&Etc, Fórum Retrogames Brasil e Canal Primastart)

Até a próxima edição do Blog MarvoxBrasil.

Sobre Marvox

Formado em Comunicação Social: Propaganda e Marketing, fundador e autor do Blog MarvoxBrasil. Criador da série Start Again no Youtube. Desde 2015 faz parte da equipe do Canal Jornada Gamer. Minha maior paixão, saber que consigo ajudar pessoas a terminar mais jogos. Essa conquista não tem preço!

Publicado em 1 de junho de 2012, em Especiais e marcado como , , , , , , , . Adicione o link aos favoritos. 6 Comentários.

  1. Grande Caduco, pois é carinha, esse lance do Aztec Adventure em multiplayer é muito bacana mesmo, as softhouses ao invés de tentar criar do zero tantas fórmulas novas que às vezes não dão em nada, poderiam repensar alguns jogos que fizéram no passado e trazer para a realidade contemporânea. Hoje existe tanta facilidade e tanto investimento em jogos multiplayers que muitos games de vídeogame e arcade, se não foram tão conhecidos na época, poderiam ser mais reconhecidos hoje.

    Curtir

  2. Procurar jogos da infância quando sequer sabemos o nome é uma quest épica. Tem muitos jogos de MSX que eu continuo na busca. Com certeza vou passar lá para ver os jogos que você colocou.

    Curtir

  3. Desses três eu conheço apenas o Aztec Adventure. Foi um jogo que joguei bastante inclusive, sempre achei ele bem divertido.
    Eu concordo contigo, esse jogo hoje em dia em multiplayer online (ou até offline) seria bastante divertido, abriria muitas possibilidades também.
    Muito bacana a participação no meme!
    Abraço

    Curtir

  4. Ufa, depois de dias consegui tirar um tempo para ler o seu texto.

    Nossa, não conheço nenhum, mas parecem ser legais mesmo. Esse lance de procurar um jogo sem saber o nome eu sei bem como é, rolou comigo com Super Buster Bros., mas volta e meia eu lembro de algum título mais antigo mas não consigo achar o jogo. Depois dá uma passada no Vão Jogar! e leia a minha participação😀

    Curtir

  5. Procure sim Leandro, são jogos bem diferentes, estilo, jogabilidade, tenho certeza que gostará muito. Aconselho começar pelo Little Nemo Dream Master.

    Curtir

  6. parece interessantes esses daí. vou procurar

    Curtir

Para comentar não é preciso se identificar. Mas, se quiser, pode comentar utilizando seu login do Facebook, Twitter, G+ ou Wordpress. Grande abraço!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: