Ed.Nº 52 – Tributo ao F.P.S, Parte 14 – Star Wars Dark Forces

O feriadão já passou e eu fui para Itajaí, em Santa Catarina. Gostei muito do que ví, consegui aproveitar bem o período que fiquei por lá e falo de verdade, se eu pudesse já teria feito minhas malas e mudado para lá. Claro que eu gosto de São Paulo, mas só de ter todo dia, uma varanda, um ar mais limpo, o som do mar, a localidade de Praia Brava e ainda curtir um rolê em Balneário Camboriú, e depois de tudo isso curtir uma rede e uma internet wi-fi seria como viver no paraíso.

Então aterrissei meus pés no chão e corri para o computador porque eu estava com saudade de falar com vocês.

O Blog MarvoxBrasil não vai parar, ainda teremos muitas matérias legais, jogos clássicos, semi-clássicos e novos, não importa, este é o universo criado especialmente para você gamer brasileiro, e também de outras localidades do planeta. Então, trago para vocês a Edição 52 com Star Wars Dark Forces.

O problema de falar de Star Wars é que não dá para deixar de lado a LucasArts pois é ela que nos trouxe em épocas marcantes adventures famosíssimos e que é difícil esquecer. Nesta edição você confere a tentativa que mais parecia um embalo da época mas acabou tornando-se um game com estilo. E também vários, eu disse vários jogos best-sellers e memoráveis da LucasArts para você curtir, relembrar, conhecer, enfim. Este é o seu blog que poderia ser uma revista nas bancas. Leia, divirta-se e se tiver vontade, comente, dê sugestões, e exponha suas críticas. Agora, se vocês me dão licença, eu vou trocar uma ideia com Darth Vader.

Título – Star Wars Dark Forces
Dev – LucasArts
Publ – LucasArts
Plataforma – PC(MS-DOS) e Playstation(PSX)
Ano: 1995

Star Wars é a menina dos olhos de George Lucas a maior produção da indústria cinematográfica com fãs espalhados por todo o planeta Terra. Para você, caro gamernauta, ter uma idéia, existe até hoje, 2010, 10 filmes produzidos entre cinema e alguns spin-offs(história que segue fora do real enredo). O primeiro deles foi, Star Wars Uma Nova Esperança, lançado em 25/5/1977.

Por enquanto o último filme para cinema foi em 2005 com a Vingança dos Sith, agora, o filme que mais preencheu o bolso de George Lucas foi a Ameaça Fantasma, que arrecadou 924.317.558 milhões de dólares. Sabe o que você faz com toda essa grana? Pode comprar 4 milhões de Wiis, 3 milhões de Xbox360 Slim, 2 milhões de PS3, ou pode comprar tudo isso e ainda montar uma loja de videogame para ganhar muito mais. E falando em videogame, a LucasArts já lançou 10 jogos da saga Star Wars e um deles você vai conferir aqui no Blog. Enquanto os gamers de PC batiam cabeça e já tinham passado quinhentas vezes pelos labirintos imundos do game DOOM e tantos outros jogos da época, a LucasArts chegou para mostrar sua tentativa em ter criado um jogo de tiro em primeira pessoa para competir e abocanhar mais esta fatia do mercado de games. Mas não era um FPS qualquer, era um FPS do Star Wars.

Oba, então teremos sabre-de-luz para detonar os inimigos? É, não foi bem assim. O jogo é cheio de armas lasers, bombas, chaves de acesso para caçar pelas fases, e soldados do Darth Vader. Sim, ele aparece, junto com o General Mock. Agora você pergunta: “Tudo bem, então tem o Luke Skywalker?” E eu respondo: “Não!”.

QUEM NÃO TEM LUKE CAÇA COM KYLE
A LucasArts criou um universo totalmente fictício(mais do que já é), com uma história nova e cheia de ação, pra falar a verdade, o jogo honra muito porque é difícil pra caramba. Pra começar não veremos Luke Skywalker, esqueça dele, e conheça Kyle Katarn, um mercenário que trabalha em benefício da Aliança Rebelde. Foi Kyle que descobriu o Dark Trooper Project(Projeto das Tropas das Sombras).

Essas Tropas, são robôs construído em comando do General Mock. São robôs poderosos, com sangue de soldados, prontos para encarar qualquer mercenário que apareça. O mais legal de Star Wars Dark Forces é que durante o jogo, Kyle encontra Jan Ors, uma agente duplo. A partir da Fase 2, você começa a jogar com os dois personagens, apesar do jogo não deixar o gamer escolher com quem quer jogar, o enredo segue de forma a parecer um filme mesmo do Star Wars. No fim de cada fase uma nave aparece para resgatar você. O jogo foi muito bem aceito na época e a crítica bateu palmas para a versão de PC e Macintosh, realmente não tem como achar Dark Forces chato, até mesmo para aqueles que não curtem a onda Star Wars, as fases são originais, bem criadas e foge do pensamento de “ah isto é igual a DOOM”, que é o que acontecia com muitos jogos da época. Mas infelizmente não foi o mesmo impacto para a conversão feita no Playstation(PSX).

Na primeira versão do console da Sony, os gráficos ficaram aquém do esperado, a velocidade slow-motion do jogo irritou muita gente e acredito que houve arremesso de CD pela janela. Isso tudo em 1995, e em 1997 saiu a sequência chamado Dark Forces II. Acompanhe agora as imagens de Star Wars Dark Forces, e continue lendo esta edição porque tem muito mais no decorrer desta página.

Longplay Star Wars Dark Forces, PC

Para que vocês possam conhecer ainda mais como é o jogo Star Wars Dark Forces, deixo aqui embaixo um longplay que gravei, com todos os caminhos e segredos de cada fase. Fica até mais fácil entender como completar cada missão para chegar até o final. Este longplay eu gravei para o Canal Jornada Gamer, além dele, lá no canal existem outros jogos também, portanto, clique aqui e inscreva-se para acompanhar.

Mas a LucasArts também foi muito conhecida pela safra de jogos do gênero Point’n Click ou Adventures, então, que tal conhecermos um pouco dos outros títulos bastante famosos do Estúdio. Está na hora das curiosidade com o nosso ShowTime do MarvoxBrasil. Espero que gostem!

A FÁBRICA DE DIVERSÃO!
E para quem acha que a LucaArts é apenas Star Wars, engana-se completamente. Esta produtora de games é dona dos melhores e maiores títulos de adventure e point-n-click que o seu computador já rodou. São jogos que marcaram época, aqui eu coloco duas décadas cheias de emoção e nostalgia. Não deixe de acompanhar, afie o seu mouse e empurre o seu teclado para o lado. Começa agora a:

FÁBRICA DE DIVERSÃO DA LUCASARTS (especialmente para o mês das crianças)

E nosso primeiro título é um jogo de 1987, numa época que mouse era sinônimo de rato e não de periférico de computador…

MANIAC MANSION

 

Este é o primeiro adventure point-n-click a comportar vários finais diferentes, dependendo do personagem que você termina o jogo. Bem estilo alguns devem ter visto em Obscure 1 e 2(PC e PS2). Aqui você joga com uma galerinha que precisa desvendar um mistério a respeito do meteoro misterioso que rasgou o céu da cidade onde vivem. Então, cabe a você desvendar esse mistério e ver até onde ele o levará. O mais interessante é que, no caso de 1 personagem morrer, oa história continua a partir do próximo personagem em um outro trecho da história. Agora, se todos morrem, claro que aparecerá o gameover. Maniac Mansion foi um seriado canadense que existiu na TV entre os anos de 1990 a 1993. Ao todo foram 3 temporadas e um total de 66 episódios, onde cada um tinha meia hora de duração. Da Mansão Maníaca vamos brincar de piratas, pegue o seu tapa-olho. E vamos desvendar…

THE SECRET OF MONKEY ISLAND, 1990

 

Aqui, o jogo se passa no Caribe, na Ilha de Mêlée(lê-se Mãlí) onde lá um jovem chamado Guybrish Threepwood tinha um sonho de ser pirata. Para que isso possa tornar-se realidade ele precisa passar por três provas de fogo. 1-Derrotar Carla, a maior espadachim da região. 2- Roubar uma estátua da Mansão do Governador. 3- E finalmente encontrar um tesouro enterrado. O mais engraçado deste game é que durante a jornada o nosso amigo Guybrush conhece vários personagens divertidos e curiosos e feitos cada um com uma personalidade tão distinta que parecem seres-humanos de verdade. Temos:
– Stan, o vendedor de barcos usados.
– Meathook, um sujeito com ganchos nas duas mãos. (o Capitão Hook que se cuide)
– Otis, o prisioneiro.
– Elaine Marley – A belíssica e encantadora governadora.
– LeChuck – O pirata fantasma. Dizem por aí que Elaine e LeChuck tiveram um caso romântico.

Agora, vamos pegar o chicote e sair correndo de pedras gigantes que rolam em sua direção, sim, eu falo de…

INDIANA JONES AND THE FATE OF ATLANTIS, de 1992

Tudo bem que aqui não temos Harrison Ford, nem é um título baseado em algum longa-metragem do caçador de Hollywood, mas por ser um jogo com enredo fictício, chamou a atenção e marcou muito na época em que foi lançado. Aqui, Mr. Jones quer procurar a lendária cidade perdida de Atlantis. Aqui temos a força Nazista que quer fazer de tudo para encontrar a cidade perdida e explorar o poder que ela tinha para assim usá-lo em suas armas de guerra. O jogo foi tão bem recebido que na época atingiu a inédita margem de 1milhão de unidades vendidas. Depois de um tempo, Fate of Atlantis teria mais uma continuação, já que passou por duas tentativas de idéia, mas no fim pelo jeito, tudo foi arquivado.

Saindo das águas de Atlantis, vamos agora conhecer um pessoal muito carismático, esquisito, mas mesmo assim não negam que são parentes. Eu falo da família Bernoulli, que nos convidou para o…

DAY OF THE TENTACLE!

Este jogo, lançado em 1993, é considerado o jogo mais criativo e carismáticos que já existiu até o momento(sim, ainda teremos outros mais). Aqui você controla Bernard Bernoulli, o pai. E juntos temos Laverne e Hoagie, que ajudam o Dr. Fred Edison usando uma máquina do tempo para impedir o maldoso Purple Tentacle(Tentáculo Roxo) de dominar o mundo. Bem história de desenho animado da Cartoon Network estilo (Pinky e Cérebro). O legal também é que o game utiliza a viagem no tempo e efeitos que mudam o contexto da história a partir da resolução de vários puzzles(quebra-cabeças) encontrados pelo caminho. E mantendo esse clima de cartoon mania, vamos agora para um universo mágico, onde cachorro é policial e coelhos tem dentes afiados. Eu falo de…

SAM & MAX HIT THE ROAD, de 1993

Sim, o mesmo ano de Day of the Tentacle. Primeiramente, este jogo saiu por acaso para Windows. O primeiro lote foi exclusivamente para Macintosh, depois de muitas pessoas falar no ouvido da LucasArts, os games que tinham o Windows conseguiram apreciar Sam & Max. Sam é o cachorro, e Max é o coelho. Aqui o lance é bem estilo Sherlock Holmes e Dr. Watson, mas moldado para um ambiente puramente cartunesco voltado ao estilo Policial e detetive. O jogo conta com vários puzzles onde Sam e Max podem explorar completamente. A partir deste lançamento, a LucasArts começa uma nova etapa, cenários maiores e cheio de cores. Diferente do que vimos até aqui, com Maniac Mansion, Indiana Jones e Day of Tentacle onde a tela era retangular e abaixo tínhamos as opções de exploração. O mais legal daqui é que a conversa pode ser alterada de forma que Sam não responda ou pergunte sempre as mesmas coisas.Dos desenhos animados vamos para as profundesas da Terra, eu falo de um game que marcou uma geração.

THE DIG, de 1995

O jogo já supera logo na introdução, onde temos a visão de um telescópio captando um objeto desconhecido, vindo em direção da Terra. Nota-se que é um asteróide muito grande e seu impacto poderá causar um desastre de grandes proporções. Uma equipe de cinco pessoas é designada para ir até o asteróide, nomeado de Áttila, depois de Atilla The Hun (para não ficar parecido com o real asteroide 1489 Attila). O objetivo dessa equipe é implantar explosivos nucleares na superfície do asteróide para explodí-lo e tirá-lo da órbita da Terra. Do espaço, vamos agora para o universo do heavy-metal. Sim, chegou a hora de nos juntarmos aos motoqueiros do deserto. Eu falo de…

FULL THROTTLE, de 1995

Aqui acredito que muitos pegaram a época deste aclamado game criado pelos produtores da LucasArts. Claro que não poderia ficar de fora. Em Full Throttle, você joga na pele de Ben, um motoqueiro marrudão que apareceu na cidade atrás de respostas. Ele não precisa de armas, ele tem sua moto e seus punhos para encarar qualquer roubada. Tudo aqui é controlado com o uso do mouse. Botão direito, botão esquerdo, e use a opção correta, fale com as pessoas, pegue objetos espalhados pelo cenário, mas lembre-se, se beber, não dirija.

Após o ano de 1995, os adventures point-n-click ficaram adormecidos. Parecia que o gênero havia tirado férias por alguma razão desconhecida. Novas idéias surgiram, novos gêneros, mas foi em 1998 que o mundo conheceu o universo caveirístico da LucasArts…

GRIM FANDANGO

Aqui, o jogador controla Manuel “Manny” Calavera (sendo mudado para o espanhol, onde antes usaram Skull no inglês). Em companhia com Mercedes “Meche” Colomar, no Underworld. Esse jogo lembra muito os desenhos do maluco BeetleJuice (no Brasil sob o título de Os Fantasmas Se Divertem). Este game, já utiliza universo em 3D, o pano de fundo não é mais desenhado como vimos antes, na época Grim Fandango necessitava de placa 3D de 32MB, um valor alto para a época. A partir daqui os point-n-clicks deixaram de ser somente controlados por mouse e deram liberdade para teclado, joystick(manche) e/ou gamepad. O jogador podia contar com mais objetos e muito mais interação dentro do ambiente que o jogo propõe além de interagir com outros personagens(figurantes) existentes na “Land of the Dead”, muito importante para resolver os quebra-cabeças e avançar no jogo.

E assim chegamos ao final da série Tributo ao F.P.S dos Anos 90, uma série composta por 14 partes onde busquei fugir do tradicional para trazer até vocês uma outra visão de jogos do gênero Tiro em Primeira Pessoa que, se não foram hiper famosos, ajudaram também no amadurecimento deste gênero cheio de ação e diversão.

Clique aqui para conhecer todas as partes desta série. Até a próxima!

Sobre Marvox

Formado em Comunicação Social: Propaganda e Marketing, fundador e autor do Blog MarvoxBrasil. Criador da série Start Again no Youtube. Desde 2015 faz parte da equipe do Canal Jornada Gamer. Minha maior paixão, saber que consigo ajudar pessoas a terminar mais jogos. Essa conquista não tem preço!

Publicado em 19 de outubro de 2010, em Análises, Especiais, PC Retrô e marcado como , , , , , , , , , , , , , , , , , , . Adicione o link aos favoritos. 8 Comentários.

  1. Sim, o livro pelo menos em inglês chama-se Dark Forces: Soldier for the Empire escrito por William C. Dietz e ilustrado por Dean Williams, foi lançado em 1997. Se for esse mesmo que você estiver procurando. Não lembro de ter visto esse livro em português, mas se você tiver paciência, já dá pra procurar algum E-Book e ler em inglês mesmo. Espero ter ajudado e obrigado pelo comentário. Continue acessando o Blog.

    Curtir

  2. me refiro ao star wars dark forces

    Curtir

  3. Esse jogo é baseado em um livro o qual estou procurando alguem sabe se ele chegou a ser traduzido em português?

    Curtir

  4. destes só joguei Star Wars Dark Forces e Full Throttle (com legendas em portugues). o Star Wars começa bem, mas depois fica um pouco chato naquela fase do esgoto. os outros só conheço de ouvir falar. esse do Indiana Jones eu nunca tinha visto. parece ser legal…

    Curtir

  5. Thanks! this is good stuff man:D

    Curtir

  6. Im not going to say what everyone else has already said, but I do want to comment on your knowledge of the topic!! Youre truly well-informed:D I cant believe how much of this I just wasnt aware of.

    Curtir

  7. The blog was absolutely fantastic!! Lots of great information and inspiration! both of which we all need!!

    Curtir

  8. Day of the Tentacle é o melhor Point & Click EVER, depois vem Full Throttle e Monkey Island!! Isso na minha opinião claro!

    Curtir

Para comentar não é preciso se identificar. Mas, se quiser, pode comentar utilizando seu login do Facebook, Twitter, G+ ou Wordpress. Grande abraço!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: