Ed.Nº 45 – Tributo ao F.P.S Parte 7 – William Shatner’s Tekwar

Recentemente assisti o filme Gamer e achei extremamente sensacional e fora do comum. Enquanto eu escrevia esta nova matéria, ouvia Sweet Dream do excêntrico Marylin Manson, música tema do filme.

Na edição 45 você, caro internauta que gosta do universo dos games fará uma viagem pelo universo cibernético de Matrix. Mas não aquele Matrix com Keanu Reeves e Laurence Fishburne.

Esta foi escrita por William Shatner, vocês devem lembrar do Capitão Kirk da USS Enterprise de Jornada nas Estrelas. Neste jogo de 1995, ao invés de Neo, seremos Walter Boscom.

O nome deste game é William Shatner’s Tekwar, e por incrível que pareça o Capitão Kirk também experimentou criar um game baseado em um de seus filmes que ao mesmo tempo eram livros, algo como o que vemos com Metro 2033. Livros que acabam virando jogos e filmes que acontecem a mesma coisa.

Lá no Estados Unidos, Tekwar foi uma espécie de “novela” que contou a história do agente secreto Walter Boscom que precisa acabar com o império da “Tek”, eles estavam procurando meios de controlar humanos igual se controla as máquinas e assim transformá-los em zumbis humanos-cibernéticos, algo bem no estilo do filme Game, onde a realidade virtual era apenas um chamariz para controlar a mente das pessoas. Doidera!

Eu considero Tekwar um game muito único, fora que é bem underrated, mas por manter um clima todo futurista para uma época em que a palavrinha ‘Matrix’ só foi tornar-se famosa pelo filme The Matrix em 1999.

Aproveite para comentar sobre esta matéria e fique ligado porque o Tributo ao FPS ainda não acabou.

®Marvox

Título: William Shatner’s Tekwar
Dev: Capstone Software
Publ: Capstone Software
Sistema: PC
Estilo: Max Payne Futurista
Ano: 1995

NEO?! NÃO, WALTER BASCOM

O game Tekwar foi programado e lançado no ano de 1995 em cima da Engine Build, emprestada pela 3D Realms para William Shatner.

A Engine não estava totalmente preparada, a produtora do Texas tinha feito apenas um protótipo da Engine final que seria inaugurada com o lançamento de Duke Nukem 3D que só foi lançado em 1996, um ano depois. Mesmo assim o game ficou muito legal. O game já veio cheio de inovações para a época, por exemplo, o uso de pessoas “reais” caminhando pelos cenários do game e esses personagens possuem diversas reações quando entram em contato com o seu personagem.

Essas reações podem ser percebidas no momento  que você sacar a sua arma na direção de qualquer um dos inocentes que perambulam pelos cenários, onde todas as fases são interconectadas por estações de metrô. Para entrar em cada fase, primeiro o jogador tem que escolher o alvo, são sete no total e cada vitória dá o direito a uma insígnia que é a chave para finalmente acessar a Matrix daqui do jogo Tekwar.

O melhor de Tekwar é a dificuldade, e aqui os inimigos por incrível que pareça esquivam facilmente dos seus ataques, tudo isso embalado por techno como trilha sonora. Nas imagens abaixo você pode conferir as imagens do game.

Se você não jogou Tekwar, aconselho fazer porque é um game sensacional e muito desafiador, com um enredo de filme e trilha sonora que dá mais entusiasmo para sentir a adrenalina das perseguições e a sensação de um ambiente onde as máquinas comandam tudo e só você pode dar um fim nisso.

Tive a oportunidade de conhecer através de um CD com demonstrações, quando joguei lá em 1990 e alguma coisa não dava para fazer muita coisa até conseguir o jogo completo recentemente (2009) que agradeci com as mãos para os céus porque não foi um jogo fácil de ser encontrado em lojas, ainda mais naquela época em que jogo de PC era só encontrado em lojas de informática e olhe lá, tirando as revistas com CDs.

Além do Mortal Kombat, foi o primeiro jogo de tiro em primeira pessoa, FPS, que vi pessoas “reais” perambulando pelas fases e isso era muito louco. As pessoas falavam coisas do tipo “Don’t shoot man!” ou “Please, spare my life!” ou “Drop your weapon!” e uma das frases mais engraçadas “You loser!

William Shatner’s Tekwar [Longplay]

Confira nas imagens abaixo uma explicação ilustrativa de como desenrola o jogo, vale a pena. E você, chegou a conhecer a ouvir falar desse jogo ou jogar a demo? Comente aí, e até a próxima!

Sobre Marvox

Formado em Comunicação Social: Propaganda e Marketing, fundador e autor do Blog MarvoxBrasil. Criador da série Start Again no Youtube. Desde 2015 faz parte da equipe do Canal Jornada Gamer. Minha maior paixão, saber que consigo ajudar pessoas a terminar mais jogos. Essa conquista não tem preço!

Publicado em 29 de junho de 2010, em Análises, Especiais, PC Retrô e marcado como , , , , , , , , , , , , , , . Adicione o link aos favoritos. 2 Comentários.

  1. Augusto Martins Salgueiro

    Olá, cara. Muito bom artigo. Eu sou fanático por Jornada nas Estrelas(Star Trek) e por jogos de tiro(FPS). Foi muito bom saber que meu ídolo, William Shatner, além de interpretar o lendário Capitão Kirk também fez outras coisas como Tekwar.

    Curtir

  2. Rapaiz, quanto tempo. Ce tá bão??? ahuahua

    Que jogo bizarro esse. Curti o estilo “open world” dele (pelomenos parece), e os gráficos lembram Incidente em Varginha, HUAHUAHAUHAUHA

    Curtir

Para comentar não é preciso se identificar. Mas, se quiser, pode comentar utilizando seu login do Facebook, Twitter, G+ ou Wordpress. Grande abraço!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: